sexta-feira, 20 de novembro de 2009

O PAPEL DA JUVENTUDE NA VITÓRIA DE GUEBUZA

É dispensável lembrar que Armando Guebuza foi candidato Presidencial pelo Partido Frelimo, concorrendo para a sua reeleição. Porém, é preciso reconhecer que a Frelimo enquanto partido político, demonstrou ser um verdadeiro actor político a altura dos objectivos que persegue. A recente vitória Eleitoral, do seu candidato e do partido com números expressivos e a escala nacional, tomando de assalto aquelas que eram as bases políticas da oposição (RENAMO) são prova dessa busca de auto-superação permanente de que tanto defende Edson Macuacua.

Quando chamados a analisar as causas dessa vitória, em primeiríssimo lugar temos que fazer referência a super organizada estrutura de que dispõe o partido Frelimo, tendo organizado sessões desde a base ao topo, que tiveram início nas reuniões de balanço dos resultados Eleitorais de 2004 e terminaram se é que se pode dizer com Assembleia Extraordinária de preparação de Eleições onde se decidiu entre outras coisas, que altos dignatários do partido deveriam permanecer na base, durante 45 dias envolvendo-se directamente em campanhas eleitorais. Sem dúvida que o resultado não poderia ser outro, senão uma larga e expressiva vitória.

É impossível analisar a vitória da Frelimo, sem tomar em linha de conta o papel carismático de Armando Guebuza e da Primeira Dama, pelo Moçambique inteiro, sobretudo no meio rural onde centraram as suas atenções, despertando a necessidade de se perceber que a pobreza é um inimigo possível de se vencer, e que com os 7 milhões, com as pontes, estradas, estavam sendo criadas as bases para que o país real tivesse os instrumentos fundamentais para lutar pelo desenvolvimento económico.

Ficou mais uma vez provado que foi a juventude que votou massivamente em Guebuza, exactamente por ter ouvido e analisado o seu compromisso eleitoral e manifesto eleitoral, que tinham a juventude como o centro da governação. Exactamente porque a juventude ouviu Guebuza dizer que “quando promete cumpre” ela votou massivamentem em sí e no seu progama, em prol de uma melhor inserção social no próximo quinquénio, por uma política de habitação mais favorável, pelo acesso a crédito bonificado, por políticas que promovam e incentivem o emprego para os jovens, e estamos sem dúvida esperançosos de que o próximo governo de Guebuza o ajude a cumprir a promessa que fez ao maior grupo populacional de Moçambique, que apostou e votou no seu projecto de governação.

11 comentários:

  1. Noa Inacio Disse: "Ficou mais uma vez provado que foi a juventude que votou massivamente em Guebuza, exactamente por ter ouvido e analisado o seu compromisso eleitoral e manifesto eleitoral, que tinham a juventude como o centro da governação. Exactamente porque a juventude ouviu Guebuza dizer que “quando promete cumpre” ela votou massivamentem em sí e no seu progama"

    Os “jovens de 28 de Outubro” também votaram em Guebuza!?

    ResponderEliminar
  2. Caro Alberto,

    Podes crer que esse foi um marco bastante importante quer para se rever o futuro quer para se manter o passado. A juventude votou e esta expectante, por isso, voltara a dar a sua resposta daqui a 5 anos.

    ResponderEliminar
  3. O problema, caro Noa, e' que dizes que os jovens garantiram a vitoria de Guebuza. Isso e' injusto para os jovens que efectivamente votaram em Guebuza. Com este post voce da'o merito da vitoria a todos os jovens. Seria melhor que separasses as aguas. Houve jovens que votaram em outros candidatos. Esses nao merecem esse merito que lhes esta's a dar.

    Seja concreto quando queres te referir aos jovens que votaram em Guebuza. Guebuza e' preisdente de todos os mocambicanos, sim, mas os jovens que votaram em Dhlakama e Deviz Simango nao foram responsaveis pela vitoria de Guebuza.

    Separe as aguas.

    Nero Kalashnikov

    ResponderEliminar
  4. AKM

    Do ponto de vista global foi a juventude que apostou em Guebuza, o que nao pode significar que nao tenham existido velhos e adultos que votaram nele ou que hajam jovens que votaram em outros candidatos.

    Ora, se analisares o centro da atencao do manifesto de guebuza, direccionando para os jovens, dialogando com este grupo prometendo os colocar no centro da governacao, sem duvida que essas mensagens foram captdas pela juventude que dai, nada mais nada menos, fez senao apostar a escala nacional nesse discurso. E espero sinceramente que a maquina governamental que for escolhida pelo Partido & Guebuza o ajudem a alcancar este objectivo.

    ResponderEliminar
  5. Noa,

    Ja' percebi que esta's a fazer-te de desentendido. Eu me retiro. Ja percebeste o que eu estou a dizer-te mas veo que nao queres corrigir. Para ti ha jovens que votaram em 3 candidatos: Guebuza, Dhlakama e Deviz!

    Vemo-nos no teu proximo post, se fores mais serio, claro.

    ResponderEliminar
  6. AKM,


    O meu texto, nao reflecte uma abordagem individualista ou grupal, isto e se o fulano tal votou ou nao, se o grupo ou Label tal votou em quem, ou em quem deixou de votar, nao conseguiria, ainda nao estudei nem a botanica ou metafisica, as hipoteses que levanto sao alicercadas em dados que nao me permitem afirmar com exactidao em quem o Nero votou na realidade.

    Mas e preciso prestar atencao que abordagem que lanco neste texto versa sobre dois aspectos fundamentais 1) o nivel de aderencia da juventude ao processo de votacao 2) Analise da mensagem dos manifestos eleitorais.

    Sendo assim tendo eu reparado que houve uma aderencia massiva dos jovens a votacao, este grupo que por sinal e maioritario na populacao mocambicana, e que por outro lado a mensagem difundida por Guebuza e pela Frelimo, para alem de colocar o jovem como centro da governacao, mostrou-se mais factivel de ser materializada, motivo pelo qual defendo que duma forma geral os jovens apostaram em Armando Guebuza e na Frelimo, e disse mais, porque ouviram o candidato dizer "que quando promete cumpre".

    Infelizmente nao posso ser mais serio do que isto.Concluindo independe de quem o jovem x ou os jovens tal tenham votado, de forma global foi a juventude que apostou em Guebuza e na FRELIMO, seguramente.

    ResponderEliminar
  7. Eissshhhhhhhh,

    Recomecou o puxa-saquismo!!! Lambebotismo hemorrágico e hemofílico...
    Mocambique quo vadis???

    É impressionante que ninguém fala da fraude vergonhosa destas eleicoes onde a propria CNE se atrapalhou a fabricar os resultados. O mérito da vitória do AEG é da CNE.

    Chikholah Nakhapa

    ResponderEliminar
  8. Meu Caro Chikholah,

    Bem vindo andaste desparecido. Enfim, falaste e nao disseste. Por acaso estou a escrever de forma ociosa um texto mais completo sobre avaliacao do processo eleitoral.

    ResponderEliminar
  9. Estimado Noa,

    Creio que vocemesse deve ser o tal "desaparecido". No ultimo post, ficaste de responder, mas parece que è muito dificil contornar o obvio.

    Sendo voce o tal conhecedor "das bases", te recomendo fazer um estudo etimologico do teu nome: NOA, que nao tendo nada a ver com NOÈ (da arca), na minha lingua se aproxima a um animal bastante perigoso, rastejante e traidor. Lamentavelmente apenas o futuro te provarà o mal que estas fazendo ao teu pais, mas nessa altura, apenas poderas, como os nazis, pedir perdao...

    Chikholah Nakhapa

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  11. Viste, nao puxaste bem o saco, nem lambeste as botas como deve ser...

    Lamento, mas deves continuar o puxa-saquismo e quem sabe se um dos ministros ou seus vices fizer uma cagada, mas boa merda mesmo, colocam o teu nome lá nos ministérios... ou serao mistério???

    Chikholah Nakhapa

    ResponderEliminar